Cruzeiro é cirúrgico, vence Fla no Maraca lotado e encaminha classificação

9 Ago 2018 Fonte: Uol Esportes
Thiago Neves não fez uma partida tão boa, mas marcou o gol que deu fim à reação do Fla

Thiago Neves não fez uma partida tão boa, mas marcou o gol que deu fim à reação do Fla

Arrascaeta já tinha marcado na final da Copa do Brasil do ano passado, e voltou a assombrar o Flamengo no Maracanã, desta vez pela Libertadores. Com gols do uruguaio e de Thiago Neves, o Cruzeiro venceu o Fla por 2 a 0 fora de casa e abriu ótima vantagem para seguir adiante e se classificar para as quartas de final do torneio.

O Flamengo esteve longe de fazer uma partida de encher os olhos, por méritos do adversário, mas também deméritos da própria equipe, que apresentou nervosismo e falta de objetividade diante de sua torcida. Do lado mineiro, a Raposa pouco criou, mas soube ser efetiva na hora certa e sai do Rio de Janeiro com um excelente resultado.

Vale lembrar que o classificado deste duelo pegará o vencedor de Boca Juniors ou Libertad. O time argentino venceu o primeiro jogo por 2 a 0. A partida de volta, marcada para o Mineirão, será realizada no dia 29. Antes disso, Flamengo e Cruzeiro voltam a se encontrar, desta vez pelo Brasileirão, neste domingo, às 16h, no Maracanã.

Quem foi bem: carrasco do Cruzeiro na final do ano passado, Arrascaeta foi novamente um dos nomes do time mineiro. Não só pela frieza cara a cara com Diego Alves, mas pela velocidade nas descidas, auxílio à marcação e contribuição defensiva.

Quem foi mal: Marlos Moreno e Rodinei. O primeiro não se encontrou em campo. Errou passes simples, errou domínios e deixou o time manco com pouca intensidade pelo lado esquerdo. Já o lateral se apresentou com muita frequência pela direita, mas vacilou no primeiro gol e ouviu as vaias do torcedor ao ser substituído.

Flamengo cochila e Cruzeiro marca na primeira oportunidade

Luciano Belford/AGIF

As equipes adotaram uma postura cautelosa até os sete minutos, quando o Flamengo chegou pela primeira vez com Marlos Moreno e Diego, quase marcando um gol olímpico. Mas na primeira boa chegada da Raposa os mineiros saíram na frente. A marcação em Robinho não encaixou dentro da área e Arrascaeta recebeu livre dentro da área. Frio, o uruguaio teve tempo suficiente para escolher o canto e tirar de Diego Alves. 1 a 0.

Thiago Neves faz falta duríssima e depois perde gol inacreditável

O Cruzeiro conseguiu o que queria. O gol de Arrascaeta obrigou o Flamengo a se soltar e deu mais espaço para a Raposa aproveitar os erros e descer em velocidade. Questionado nos últimos jogos, Thiago Neves teve uma oportunidade de ouro ao receber de Robinho, mas cabeceou no travessão mesmo sem marcação e debaixo da trave. Além de perder o segundo gol, o meia deu sorte minutos antes e só foi amarelado em uma entrada perigosíssima de carrinho em Jean Lucas.

Marcação do Cruzeiro tranca velocidade do Fla, que busca jogo aéreo

O Flamengo demorou para colocar os nervos no lugar e começar a construir boas ações ofensivas. Até se encontrar em campo, o time errou muitos passes bobos e mostrou falta de atenção em várias ocasiões, além de pouca objetividade. Com o Cruzeiro impecável na marcação por terra, o rubro-negro não conseguiu imprimir velocidade e só chegava pelo alto, todas pela direita e procurando Uribe dentro da área. Na última delas, Fábio fez uma defesa de cinema e tirou o empate. Ainda antes do intervalo, Rodinei (que falhou no gol e foi vaiado) teve duas chances, mas finalizou em cima do goleiro.

Flamengo não empolga e Cruzeiro sofre menos

Thiago Ribeiro/AGIF

Com exceção da cabeçada de Uribe, que exigiu outra ótima defesa de Fábio, o Flamengo não empolgou tanto na etapa final. A posse de bola continuava absoluta e o Cruzeiro mal saía para o ataque, mas o time permanecia sem empolgar em campo e nas arquibancadas, mal finalizando e sem conseguir penetrar na área. Do outro lado, quem assustou foi Raniel, que substituiu Barcos e chutou de fora da área a poucos centímetros da trave de Diego.

Cruzeiro marca novamente e esfria de vez reação carioca

O Cruzeiro ainda não tinha finalizado ao gol quando Lucas Silva chutou de fora da área e Thiago Neves, sumido em campo, desviou para matar o goleiro Diego Alves. O gol aos 35 do segundo tempo presenteou um Cruzeiro que foi cirúrgico o jogo inteiro. Com um jogo coletivo impecável e recomposição exemplar de praticamente todos os jogadores, a Raposa soube passar o tempo sem sofrer tanto lá trás. Quando subiu ao ataque, foi letal mais uma vez e deixou a vaga muito encaminhada para as quartas de final.