"Granja no Rio Grande do Sul cria suínos com música sertaneja"

8 Out 2018 Fonte: gazetadopovo.com.br Agricultura e Pecuária

"Granja no Rio Grande do Sul cria suínos com música sertaneja"

"Não é todo dia que se encontra uma granja de suínos com 7 mil animais em que o silêncio é a primeira coisa que chama atenção. Na unidade de produção de leitões (UPL) da Granja Fontana, em Charrua, Norte do Rio Grande do Sul, a calmaria só é quebrada quando Tonico e Tinoco começa a soar nas caixas de som espalhadas pelos cinco barracões de engorda de animais.

“Eles gostam de música sertaneja, se acalmam”, garante Vilseu Fontana, 70 anos, pioneiro da suinocultura na região e, principalmente, da cultura de bem-estar animal, hoje bastante difundida no mundo. “Quem introduziu a música para os animais fui eu”, orgulha-se o produtor, que chegou a trazer a dupla icônica da música caipira brasileira para cantar – ao vivo – para os animais. Isso lá pelos idos dos anos 90. “O pessoal me conhece no mundo todo por causa disso.”

E ai de quem tocar nos bichos com maldade. “O que faz a diferença são as pessoas. Se alguém aqui bater num animal eu dou advertência. Nenhum animal quer ser maltratado”, diz Fontana, que trabalha com os filhos em duas granjas que a família tem na região. Ambas são integradas à Cooperalfa, cooperativa com sede em Chapecó (SC). Além da UPL, a outra granja multiplica matrizes para outros produtores – atualmente são 2 mil leitoas reprodutoras.

Nem parece que a granja de multiplicação foi completamente destruída em junho do ano passado por um vendaval. Por sorte, nenhum funcionário se feriu, mas foi preciso reconstruir quase tudo – silos, barracões, fábrica de ração. Só ficou em pé a residência do Fontana. “Ninguém reclamou aqui. Já passamos por muitas crises e sempre conseguimos superar. Deus dá a cruz conforme a gente consegue carregar. Não é verdade?”, diz o veterano produtor, de fala tranquila, mas firme."