Haitiana grávida é vítima de estupro coletivo em município da Grande Curitiba

17 Mai 2018 Fonte: Gazeta do Povo Destaques
Haitiana grávida é vítima de estupro coletivo em município da Grande Curitiba

Haitiana grávida é vítima de estupro coletivo em município da Grande Curitiba

Se não bastasse lidar com os problemas que enfrentava em seu país de origem, um casal do Haiti, que está em Mandirituba, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), fugindo da pobreza e das consequências do terremoto que atingiu o país em 2010, foi vítima da pior das situações: no último domingo (13), eles tiveram a casa invadida por quatro homens que estupraram a mulher e a violentaram de todas as formas possíveis, além de roubar os poucos pertences que eles tinham.

A impunidade, porém, não durou muito tempo. Num trabalho rápido de investigação da Polícia Civil de Fazenda Rio Grande, também na RMC, os quatro suspeitos do crime foram encontrados e a brutalidade foi elucidada. A mulher, além de ter sido estuprada, está grávida de um mês.

A delegada Gislaine Ortega, que comanda a Delegacia de Fazenda Rio Grande, contou que o crime aconteceu por volta das 9h30. “Os bandidos entraram na residência do casal, que está no Brasil a partir de um projeto que lhes ajuda a encontrar melhores condições de vida, para roubar os poucos bens que o casal mantinha. Quando viram que se tratava de uma mulher que estava lá, além de roubarem as vítimas, abusaram sexualmente da mulher”, contou.

Segundo a delegada, durante o ato, os bandidos lesionaram a mulher com facadas e ameaçaram de morte, tudo na frente do marido dela, que não teve sequer como reagir. Aos policiais, o casal contou que os bandidos ficaram por volta de duas horas e meia dentro da residência. “Quando foram direcionar a agressão ao marido, a mulher conseguiu fugir. Ela pulou de uma altura de aproximadamente um metro e fingiu de morta. Nisso, os quatro se assustaram e correram da casa”.

Investigação rápida

Na delegacia, a haitiana conseguiu reconhecer de imediato dois dos suspeitos. “Mas, como ela nos disse que os quatro teriam a estuprado, começamos a procurar pelos outros dois”, destacou a delegada. Próximo ao local do crime, os policiais descobriram que um dos suspeitos teria comprado uma garrafa de bebida alcoólica numa mercearia. “Chegamos até o local de trabalho dele e, ao ser abordado, primeiro negou o crime, mas depois confessou que os quatro estupraram a mulher”.

+ Leia mais: Adiado interrogatório com peritos do Caso Mugiatti

Quando foram encontrados, os quatro foram levados para a delegacia e tentaram justificar o crime dizendo que a intenção era somente roubar. “Disseram que, como estavam loucos, fizeram o que fizeram. Barbarizaram. Agiram com muita violência, machucaram muito a mulher”, desabafou a delegada. Os quatro bandidos ficaram presos, na Delegacia de Fazenda Rio Grande. Segundo a polícia, os rapazes, que têm entre 18 e 25 anos, são moradores de Mandirituba e não tinham passagens criminais enquanto maiores.

Hospitalizada

A haitiana foi encaminhada a um hospital e, por estar grávida de um mês, precisou de um atendimento ainda mais delicado. “Ela vai precisar de acompanhamento, principalmente na questão da medicação necessária, para não prejudicar a gestação. Todo o atendimento tem sido acompanhado por uma equipe de assistência dos organizadores do projeto que atende o casal por aqui, pois há certa dificuldade pelo idioma, que eles só falam francês”, explicou Gislaine.