Inter e Grêmio esbanjam cautela, concedem poucas chances, e Gre-Nal esbarra nos goleiros

15 Abr 2019 Fonte: Eduardo Moura e Eduardo Deconto Esportes
Everton e Zeca travaram duelos no Gre-Nal — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Everton e Zeca travaram duelos no Gre-Nal — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

A expectativa de uma grande partida de futebol, com dois times em bom momento, não se confirmou em campo. O 0 a 0 até não foi ruim, mas o Gre-Nal no Beira-Rio, pela partida de ida da final do Gauchão, teve parcas chances de gol - três, no total - e foi marcado por muita cautela e pouca inspiração. Nas oportunidades criadas, brilharam as estrelas de Marcelo Lomba e, especialmente, Paulo Victor.

No gramado, Inter e Grêmio foram fiéis ao modo com o qual chegaram na final. O time de Odair Hellmann vai direto ao ponto. Com poucos toques, verticaliza o máximo possível e avança com força ao gol rival.

No primeiro tempo, tentou isso em lançamentos para Guerrero, mas a principal chance veio com Patrick e sua força física em jogada pelo lado esquerdo. O cruzamento encontrou o centroavante, mas foi anulado pela primeira intervenção cirúrgica de Paulo Victor.

Odair e Renato apresentaram times sem grandes revoluções — Foto: Reprodução

Odair e Renato apresentaram times sem grandes revoluções — Foto: Reprodução

- O campeonato está aberto. Se eu não me engano, Paulo Victor foi eleito um dos melhores em campo, como o Lomba às vezes é. O que mostra que podemos e, com certeza, iremos à Arena desempenhar e buscar o título - anunciou Odair.

 

- Não tem favoritismo nem que tivesse sido na Arena. Gre-Nal não existe favorito. Foi um Gre-Nal disputado de ambos os lados. Tem mais 90 minutos na quarta - resumiu Renato, em uma serenidade contrastante à do rival.

 

Troca de passes do Grêmio segura Inter

 

O Grêmio, por sua vez, iniciou o clássico melhor e dominou o adversário a partir de sua principal característica, a troca de passes. Acalmou o jogo com sua posse de bola horizontal e assustou Lomba em um chute de fora da área de Alisson triscando o travessão.

Diferentemente de outras oportunidades, o Tricolor foi menos agressivo e mais cauteloso para não sair do clássico em desvantagem. Pode-se afirmar que o equilíbrio pautou o Gre-Nal. O Grêmio foi melhor até a parada técnica, aos 24 minutos do primeiro tempo. Odair usou o tempo para orientar Zeca na marcação a Everton.

Everton e Zeca travaram duelos no Gre-Nal — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Everton e Zeca travaram duelos no Gre-Nal — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

- Em função não só do Everton, mas (porque) ele puxa a marcação por dentro para sobrar para o Cortez. Foi a maior dificuldade, que a gente corrigiu. Vamos conversar bastante para não sermos surpreendido lá (na Arena) - explicou o lateral colorado.

Depois do ajuste, o Grêmio manteve a posse de bola, mas não foi tão perigoso. Pelo setor, também caiu Jean Pyerre, que tem características diferentes de Luan e joga menos centralizado e mais pelo lado esquerdo.

- Infelizmente, estava prevista a parada técnica. Foi no melhor momento da nossa equipe. Mas faz parte - lamentou Renato.

 

Inversão de lado faz Inter crescer

 

Kannemann e Nico López em uma de tantas divididas — Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital

Kannemann e Nico López em uma de tantas divididas — Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital

D’Alessandro e Nico López inverteram de lado, para o uruguaio ajudar mais o lateral-direito colorado e também causar uma preocupação no lateral gremista. No entanto, foi por aquele setor a melhor chance do Grêmio: no segundo tempo, Everton girou sobre Zeca, driblou Moledo e finalizou rasteiro, mas fraco. Marcelo Lomba fez a defesa sem maiores problemas.

A segunda etapa teve o Inter melhor. Mostrou um Grêmio cada vez mais cauteloso, mesmo com as entradas dos atacantes Pepê e Diego Tardelli. Claramente não queria deixar o empate escapar pelas mãos.

O Inter cresceu, teve mais posse de bola e pressionou. Obrigou Paulo Victor novamente a surgir em dois lances quase consecutivos. Como no primeiro tempo, o goleiro do Grêmio usou os pés para impedir o gol colorado.

Grêmio, com Everton, Inter, com Nico e Guerrero, tiveram suas chances. Os goleiros se sobressaíram. E o 0 a 0 pareceu cômodo para os dois lados no apito final, mesmo com os colorados jogando dentro do Beira-Rio. A grande decisão ocorre na Arena, na próxima quarta-feira, às 21h30. Qualquer empate leva a decisão para os pênaltis.