Juiz absolve Lula em ação por obstrução da justiça com ‘compra de silêncio’ de Cerveró

0 0 Fonte: Gazeta do Povo Destaques
Juiz absolve Lula em ação por obstrução da justiça com ‘compra de silêncio’ de Cerveró

Juiz absolve Lula em ação por obstrução da justiça com ‘compra de silêncio’ de Cerveró

O juiz substituto Ricardo Leite, da 10ª Vara Federal em Brasília, absolveu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo em que ele é réu por supostamente ter comprado o silêncio do ex-diretor da área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró.

O caso estava concluso para sentença desde novembro do ano passado e teve origem no acordo de colaboração do ex-senador Delcídio do Amaral.

Lula era réu por obstrução de Justiça. Esta foi a primeira absolvição de Lula em um processo na Justiça.

Procuradoria diz que Delcídio mentiu em delação e pede absolvição de Lula

COMPRA DE SILÊNCIO

Procuradoria diz que Delcídio mentiu em delação e pede absolvição de Lula

Ex-senador petista acusou ex-presidente de tentar comprar o silêncio do ex-diretor das Petrobras Nestor Cerveró. Mas procurador Ivan Marx diz que denúncia é falsa

Defesa do ex-presidente quer que prisão só saia após esgotados todos os recursos. Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Defesa do ex-presidente quer que prisão só saia após esgotados todos os recursos. Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

O Ministério Público Federal (MPF) pediu nesta sexta-feira (1) a absolvição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do banqueiro André Esteves no processo que investiga a compra do silêncio do ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró. O processo tramita na Justiça Federal de Brasília. Para o MPF, não há provas de que Lula teria participado do esquema criminoso. O MPF também pediu para que o ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT) perca os benefícios obtidos a partir do acordo de colaboração premiada firmado por ele na Lava Jato por ter mentido no acordo.

De acordo com o procurador Ivan Cláudio Marx, as provas coletadas mostraram que Delcídio tinha motivos para tentar evitar que Cerveró firmasse o acordo de colaboração premiada. O principal deles era impedir a revelação de que ele (Delcídio) recebeu R$ 4 milhões da construtora UTC, como propina, e que o dinheiro foi usado em caixa 2 em sua campanha ao governo do estado do Mato Grosso.

Para tanto, e por orientação do então advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, nos primeiros anexos entregues ao MPF Nestor Cerveró informou falsamente que os valores foram destinados à campanha presidencial de Lula naquele ano de 2006. Segundo o MPF, “Delcídio estava agindo apenas em interesse próprio. E Cerveró estava sonegando informações no que se refere a Delcídio, e não sobre Lula, a quem inclusive imputava fatos falsos, no intuito de proteger Delcídio”.

Entenda o caso

A tentativa de compra do silêncio de Cerveró veio à tona depois que o filho dele, Bernardo Cerveró, gravou uma conversa com Delcídio. No diálogo, o senador ajuda a elaborar um plano de fuga para o ex-diretor da Petrobras. As revelações levaram à prisão de Delcídio, em 2015. Ele foi o primeiro senador preso durante o exercício do mandato.

Ele foi cassado pelos colegas por quebra de decoro parlamentar e acabou firmando um acordo de colaboração premiada com o MPF.