Mulheres organizam protesto contra vinda do goleiro Bruno para Várzea Grande

20 Jan 2020 Esportes
Mulheres organizam protesto contra vinda do goleiro Bruno para Várzea Grande

Mulheres organizam protesto contra vinda do goleiro Bruno para Várzea Grande

Um grupo de mulheres organiza um protesto contra a vinda de Bruno Fernandes para o Operário Futebol Clube de Várzea Grande. O ato está previsto para acontecer na terça-feira (21), às 19h, na Arena Pantanal, em Cuiabá. O goleiro já foi condenado a mais de 20 anos de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, em 2010.

No ato organizado pelo Bloco das Mulheres também haverá manifestação contra feminicídio, crime de ódio baseado no gênero, amplamente definido como o assassinato de mulheres, e outras violências sofridas. Pelo Facebook circulam as informações do protesto. Acesse AQUI

Bruno Fernandes ficou nove anos preso pela morte de Eliza Samudio e deixou a prisão em julho de 2019, após conseguir na Justiça a progressão de regime para o semiaberto. Em agosto de 2019 ele assinou contrato com o Poços de Caldas F.C., porém deixou o clube dois meses depois.

Em nota, o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso (CEDM/MT) repudiou a possibilidade de contratação. “Trata-se de alguém que demonstrou profundo ódio e total desrespeito às mulheres ao tratar dessa forma cruel e bárbara aquela que seria a mãe do seu filho”, afirma o conselho.

Na última sexta-feira (17), o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) autorizou que o goleiro Bruno cumpra pena em Várzea Grande, Mato Grosso. ​Assinada pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, da Vara de Execução em Meio Aberto e Medidas Alternativas da Comarca de Varginha, Bruno deve ser anunciado como jogador do Operário.

 

 

Fonte:   Olhar Direto