Neymar cai-cai? Craques já foram perseguidos por famas obtidas em Copas

10 Jul 2018 Fonte: Uol Esportes
Craques já foram perseguidos por famas obtidas em Copas

Craques já foram perseguidos por famas obtidas em Copas

Somente a Copa do Mundo tem o tamanho de transformar a carreira de um jogador. O principal exemplo da atual edição aparece em Neymar, que deixou a Rússia extremamente criticado por abusar das quedas. Pelo menos nos próximos meses, o assunto “cai-cai” vai sondar o craque brasileiro.

No entanto, este tipo de perseguição não se restringe ao camisa 10 da seleção. Há exemplos em outras Copas do Mundo de atletas marcados por um lance, uma sequência ou uma história fora das quatro linhas. O UOL Esporterelembra casos com nomes famosos.

Alguns conviveram a carreira toda com a marca, outros precisaram se reinventar para afastar a “marca” deixada pelo Mundial.

Copa do Mundo que marca

Desafio do Neymar

O nome da vez é Neymar. A postura (muitas vezes) descabida em quedas e supostas simulações durante os jogos gerou antipatia, inclusive no Brasil. Na Era dos memes, agora a moda é cair de repente, como uma referência ao craque do Paris Saint-Germain. Você se deparou nos últimos dias com o "Desafio do Neymar"

Fome de quê?

Há quatro anos, Luis Suárez viralizou na Copa do Mundo do Brasil por um motivo, no mínimo, insólito. O atacante uruguaio mordeu o zagueiro italiano Chiellini e rapidamente ganhou fama pelo ato surreal. Mesmo consagrado pelos títulos e gols desde então, o centroavante ainda é lembrado pela dentada no Mundial.

Perdeu a cabeça, Zizou

Zinedine Zidane é um dos maiores jogadores de futebol da história. Também um técnico consagrado desde que parou de jogar, o francês tem um lance marcante que contrasta com as grandes atuações em Copa do Mundo. Na final de 2006, que marcava sua despedida do esporte, Zizou se irritou com Marco Materazzi e acertou uma cabeçada no peito do italiano. Impossível não associar o genial craque francês com este momento intempestivo.

 

Baggio bateu...

Era 1994, e a internet ainda engatinhava na comparação com a atual. No entanto, até hoje, você se depara com a expressão "bateu como Baggio" ao ver um jogador chutar um pênalti sobre o gol. O italiano também teve carreira brilhante, mas saiu da Copa do Mundo dos Estados Unidos como vilão por desperdiçar a penalidade que deu o tetracampeonato ao Brasil. As pessoas nem se lembram que Massaro e Baresi também falharam na marca da cal.

 

Convulsão de Ronaldo

"Se vocês soubessem o que aconteceu, ficariam enojadas...". Certamente você já leu essa corrente em algum momento da vida. Fora a fake news que ainda circula na internet, outro caso marcou a Copa do Mundo de 1998. Melhor jogador do mundo e candidatíssimo a craque no Mundial francês, Ronaldo passou mal na concentração na véspera da decisão. A convulsão ainda aparece como um carma, um ponto dissonante na vitoriosa carreira do Fenômeno.

 

Mão de Deus

Nem só de resultados negativos, como o caso de Neymar, se marca uma Copa do Mundo. Impossível não relacionar Diego Armando Maradona com a "mão de Deus". O gol irregular marcado contra a Inglaterra em 1986 virou música, filme e até livro na Argentina.

 

Homem que nunca teve paz

Para quem sente pena e reclama da perseguição a Neymar, não houve alguém tão execrado no país do futebol do que Barbosa (à esq). A suposta falha no chute de Chiggia que tirou o primeiro título mundial do Brasil, em 1950, marcou o goleiro durante toda a vida. Taxado como "vilão", ele conviveu com teorias, livros e filmes sobre o fatídico lance - até Antonio Fagundes, no curta-metragem "Barbosa", voltou no tempo tentar evitar o gol. A cada encontro entre Brasil x Uruguai, inevitavelmente, o Maracanazzo vira pauta, mais de 60 anos depois. Só o 7 a 1 de 2014 para dar a paz definitiva.