Tarifa da China sobre os EUA beneficia sojicultura do Brasil

5 Out 2018 Fonte: AGROLINK Agricultura e Pecuária
Tarifa da China sobre os EUA beneficia sojicultura do Brasil

Tarifa da China sobre os EUA beneficia sojicultura do Brasil

Um relatório da Rede de Informação Agrícola Global do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou que a guerra comercial entre os norte-americanos e a China beneficiará a indústria brasileira de soja no próximo ciclo. Isso porque os asiáticos devem substituir a soja dos EUA pela brasileira na próxima safra. 

De acordo com o departamento, a safra de 2018/2019 do Brasil teve um bom começo, com os produtores aproveitando o clima favorável nas regiões sul e centro-oeste do país. O USDA prevê que a área plantada de soja cresça em 3%, para 36 milhões de hectares, e a produção deve chegar a um recorde de 123 milhões de toneladas. 

“Assumindo que a China continue a aplicar impostos de importação sobre a soja dos EUA, a demanda por soja brasileira continuará elevada. O aumento da área plantada para a safra 2018/2019 deve-se, em grande parte, ao contínuo otimismo dos produtores quanto à valorização da soja brasileira. Desde o início do ano civil, os preços locais da soja aumentaram acentuadamente devido à demanda robusta da China, bem como ao fraco Real”, diz o texto. 

Mesmo com o aumento esperado de plantio e produção, o USDA disse que os estoques serão reduzidos para cerca de 1% da oferta interna. No entanto, os analistas brasileiros não esboçaram nenhuma preocupação com relação à baixa oferta de ações para a oferta doméstica. 

“A suposição é de que, caso haja algum déficit para o consumo interno, o Brasil sempre poderá trazer suprimentos adicionais de produtores vizinhos. Em vez disso, os comerciantes e produtores estão usando os últimos recursos, a fim de aproveitar o lado positivo dos preços decorrentes das tensões comerciais internacionais", finaliza.