Encontro de produtoras rurais em Cascavel reúne 650 mulheres

5 Ago 2022 Fonte: Sistemafaep Agricultura e Pecuária

PUBLICIDADE

Encontro de produtoras rurais em Cascavel reúne 650 mulheres

Encontro de produtoras rurais em Cascavel reúne 650 mulheres

PUBLICIDADE

Realizado pela comissão de mulheres do sindicato rural local, com apoio do Sistema FAEP/SENAR-PR, evento abordou gestão de propriedades, entre outros temas

Nesta quinta-feira (4), a representatividade feminina no agronegócio esteve em destaque em Cascavel, no Oeste do Paraná. O 10º Encontro de Produtoras Rurais, que acontece tradicionalmente no município, mobilizou 650 mulheres de diversas regiões do Estado para um dia de palestras e debates. O evento foi promovido pela Comissão Feminina do Sindicato Rural de Cascavel, grupo local que integra a Comissão Estadual de Mulheres da FAEP (CEMF), com apoio do Sistema FAEP/SENAR-PR.

A comissão local de Cascavel surgiu há 10 anos com o objetivo de unir as mulheres e fortalecer a presença feminina no sindicato rural. Desde então, o grupo tem se desenvolvido, expandindo suas ações e obtendo reconhecimento pelo trabalho na região. Na abertura do encontro, a presidente Maria Beatriz Orso, que também compõe a coordenação regional da CEMF, frisou o crescimento da participação das mulheres em diversos âmbitos do setor rural, dentro e fora das propriedades rurais. “As mulheres estão despertando interesse dentro da nossa cadeia produtiva. Hoje, a mulher está se capacitando, buscando resultados e conquistando espaço, mostrando sua capacidade empreendedora e participando das decisões. Faz parte da diretoria de sindicatos, associações e cooperativas para nos representar, levando sua contribuição política para dentro do sistema”, afirmou.

Maria Beatriz Orso, presidente da Comissão de Mulheres do Sindicato Rural de Cascavel

A coordenadora da CEMF e vice-presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Lisiane Rocha Czech, apontou a capilaridade alcançada desde a criação da Comissão Estadual em 2021. Hoje são 31 grupos locais formados nos sindicatos rurais, com mobilização de mais de 1,3 mil mulheres. “Quando surgiu o convite para estar à frente da Comissão Estadual, me perguntei como iríamos conseguir, mas o resultado está aqui. Não posso deixar de citar a participação da comissão de Cascavel nesse processo, madura, com anos de experiência. Essas experiências, nossos erros e acertos, nossa união, é isso que faz o nosso grupo crescer”, disse.

Lisiane Rocha Czech, coordenadora da CEMF e vice-presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR

Na avaliação do presidente do Sindicato Rural de Cascavel, Paulo Orso, as mulheres paranaenses vêm demonstrando muita força em suas mobilizações, o que representa um imenso potencial para o setor como um todo. “O sindicato rural consegue ajudar a Federação graças à família rural, que tem a mulher como figura central. Espero que as comissões cresçam no Paraná, criando oportunidades a tantas outras mulheres”, declarou.

Paulo Orso, presidente do Sindicato Rural de Cascavel

Durante a abertura do evento, o prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, destacou a inserção das mulheres em diversos setores da economia, além do agronegócio, e reconheceu a importância dessa conquista. “A gente tem visto anúncios no mundo sobre o desempenho das mulheres. No ano passado, a revista Forbes trouxe uma lista das ‘100 Mulheres Poderosas do Agro’. A palavra ‘poderosa’ não está concentrada apenas nessas 100 mulheres, mas mostra a realidade”, concluiu.

Programação

O 10º Encontro de Produtoras Rurais promoveu atividades ao longo do dia, promovendo a troca de experiências entre as participantes. O evento contou com palestras sobre desafios, representatividade e futuro do agronegócio, saúde física e mental, qualidade de vida e relacionamento familiar, além apresentações musicais e sorteio de brindes.

O economista e professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Thiago Bernardino de Carvalho falou sobre os desafios da gestão de propriedades rurais no futuro do agronegócio brasileiro. Em sua apresentação, destacou a necessidade de se investir em capital humano, tecnologia e infraestrutura para gerar bons resultados no campo e atender às demandas da população mundial.

“O Brasil tem mais terras agrícolas sem uso do que qualquer outro país. A América do Sul tem grande quantidade de água disponível. O que precisamos é melhorar a nossa vantagem competitiva. Gestão não é só custos, envolve todo o ambiente da propriedade. O mundo está de olho no Brasil e o produtor precisa estar atento às principais preocupações destes países e a todos os processos que estão acontecendo”, resumiu.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO DE WHATSAPP DO PORTAL PALOTINA
SE VOCÊ JÁ ESTA EM UM GRUPO, NÃO TEM NECESSIDADE DE ENTRAR.