Soja: estimativa da Conab tem leve ajuste para cima e vai a 135,86 mi de toneladas

10 Jun 2021 Fonte: Canal Rural Agricultura e Pecuária
Foto: Augustinho Portal Palotina

Foto: Augustinho Portal Palotina

O 9º Levantamento da Safra de Grãos 2020/21, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta quinta-feira, 10, traz um leve aumento na estimativa para a produção de soja do país. A entidade projeta 135,86 milhões de toneladas. No relatório de maio, a perspectiva era de 135,4 milhões de toneladas. Dessa forma, a expectativa ainda é de uma temporada recorde, no geral, com crescimento de 8,8% em relação ao ciclo anterior.

A relatório da Conab indica que a a área plantada com a oleaginosa cresceu 4,2% em comparação à safra anterior, atingindo 38,5 milhões de hectares. “Apesar dos problemas com o clima, especialmente na colheita que afetou a qualidade de alguns lotes, a produtividade alcançada registrou incremento de 4,4% em relação ao exercício passado”.

O aumento de área de soja, por sua vez, foi incentivado principalmente pela alta dos preços internacionais, aliado ao dólar elevado de 2020, mas também impulsionaram este aumento de área na safra 2020/21 a expectativa do crescimento da demanda interna e exportadora para 2021.

CLIQUE AQUI E PARTICIPE DO GRUPO DE WHATSAPP DO PORTAL PALOTINA
SE VOCÊ JÁ ESTA EM UM GRUPO DO PORTAL PALOTINA NÃO TEM NECESSIDADE DE ENTRAR

Estado a estado

Em relação aos números divulgados em maio, a Conab elevou as estimativas para o Amazonas, Pará, Goiás, Paraná e Rio Grande do Sul, mas diminuiu as projeções para o Tocantins, Piauí, Mato Grosso, São Paulo e Santa Catarina. Veja os números abaixo (em amarelo, os recordes por estado que não foram batidos):

safra de soja por estadoDados da Conab, em mil toneladas

Demanda por soja

A demanda interna total (esmagamentos, sementes e perdas) por soja está estimada em 50,24 milhões de toneladas, segundo a Conab, com uma redução de aproximadamente 200 mil toneladas em relação ao último relatório, motivada pela dedução de estimativa de consumo de óleo de soja, que, por sua vez, foi movido pela redução do percentual de biodiesel de B13 para B10 em maio e junho de 2021.

“Parte da perda de consumo de óleo de soja, que seria usado para a produção de biodiesel, deve ser transferido para exportação, já que há uma forte demanda internacional e que há problemas de safra de grãos na Argentina, grande exportador de óleo de soja mundial”, diz a entidade.

A demanda por óleo de soja (consumo e exportação) pode ficar entre 9,9 milhões de toneladas e 10,3 milhões de toneladas – dependente do número exportado – enquanto, em 2020, esse número foi estimado em 9,6 milhões de toneladas.