Soja: preços voltam a subir e melhoram ritmo de negócios no Brasil

21 Jul 2021 Fonte: Agência Safras Agricultura e Pecuária
Soja: preços voltam a subir e melhoram ritmo de negócios no Brasil

Soja: preços voltam a subir e melhoram ritmo de negócios no Brasil (Foto: Augustinho/Portal Palotina )

O mercado brasileiro de soja teve dois momentos nesta terça-feira, 20. Na parte da manhã, com a Bolsa de Chicago e dólar subindo, os preços dispararam e houve uma melhora significativa na comercialização.

Na tarde, Chicago saiu das máximas e o dólar virou. Com isso, o ímpeto dos negociadores diminuiu. A Safras & Mercado identificou negociações envolvendo ao menos 250 mil toneladas, a maioria envolvendo safra nova.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 166 para R$ 168. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 165 para R$ 167. No porto de Rio Grande, o preço aumentou de R$ 172,50 para R$ 174.

 

Em Cascavel, no Paraná, o preço passou de R$ 165 Para R$ 166,50 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca subiu de R$ 171 para R$ 172,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 168 para R$ 172,50. Em Dourados (MS), a cotação avançou de R$ 156 para R$ 160. Em Rio Verde (GO), a saca avançou de R$ 164 para R$ 166.

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a terça-feira com preços mais altos, mas abaixo das máximas do dia. A previsão de clima seco no Meio Oeste dos Estados Unidos garantiu a alta, recuperando parte das perdas desta segunda, 19.

Os boletins apontam poucas chuvas e temperaturas elevadas para os próximos 10 dias na região produtora dos Estados Unidos. Estas condições atingiriam a soja em fases decisivas para a definição do potencial produtivo.

Os contratos da soja em grão com entrega em agosto fecharam com alta de 16,25 centavos de dólar por bushel ou 1,17% a US$ 13,99 por bushel. A posição novembro teve cotação de US$ 13,88 por bushel, com ganho de 15,75 centavos ou 1,14%.

Nos subprodutos, a posição agosto do farelo avançou US$ 5,70 ou 1,58% a US$ 365,50 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em agosto fecharam a 67,02 centavos de dólar, ganho de 0,33 centavo ou 0,49%.

Dólar

O dólar comercial encerrou a sessão em queda de 0,38%, sendo negociado a R$ 5,2300 para venda e a R$ 5,2280 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entra a mínima de R$ 5,2020 e a máxima de R$ 5,2940.