Justiça condena por corrupção e determina demissão de delegado federal de Londrina

A Justiça Federal condenou o delegado da Polícia Federal (PF) de Londrina, no norte do Paraná, Sandro Viana, por corrupção passiva e concussão com abuso de poder e violação do dever para com a Administração Pública.

A Justiça Federal condenou o delegado da Polícia Federal (PF) de Londrina, no norte do Paraná, Sandro Viana, por corrupção passiva e concussão com abuso de poder e violação do dever para com a Administração Pública. Além disso, a sentença determina ainda a demissão de Viana por envolvimento em um esquema de corrupção. 

Vianna foi preso em flagrante, no dia 25 de fevereiro de 2017, em uma operação realizada pela PF de Brasília, quando dividia uma propina de R$ 35 mil com um intermediador, Clodoaldo Pereira dos Santos. Este era diretor de uma empresa de segurança conhecido como Tigrinho, que teria auxiliado Viana a extorquir o dinheiro de um empresário da cidade, segundo as investigações.

De acordo com a polícia, Tigrinho teria recebido o dinheiro de um empresário a pedido do delegado Sandro Vianna.

Segundo a sentença do juiz Robson Carlos de Oliveira, da 5ª Vara Federal de Londrina, Sandro Vianna solicitou propina sob o pretexto de livrar o empresário do indiciamento de um inquérito policial, bem como deixar de propor medidas coercitivas contra ele.

Conforme a denúncia, o empresário foi absolvido na Operação Publicano – que apura um suposto esquema de fraude milionária na Receita Estadual do Paraná – porque colaborou com a investigação. Apesar da absolvição, ele passou a responder pelos mesmos crimes em outro inquérito policial sob responsabilidade do delegado Sandro Viana.

Clodoaldo Pereira dos Santos também foi condenado pelos mesmos crimes, corrupção e concussão, e teve a mesma quantidade de pena imposta, sob o mesmo regime e com monitoramento eletrônico.

Os dois podem recorrer das condenações, pois ainda cabe recurso.

Compartilhe

Posts Relacionados