Paraná lidera apreensões de maconha desde início do ano

(Foto: Sesp-PR)

Embora o maior consumo esteja em outros Estados, especialmente São Paulo e Rio de Janeiro, é o Paraná que figura no topo das apreensões de maconha no primeiro trimestre deste ano, com a tirada de circulação de 51,5 toneladas da droga no período. Mato Grosso do Sul, São Paulo e Amazonas aparecem na sequência no ranking, retirando de circulação 47,3 toneladas, 22,8 toneladas e 10,9 toneladas, respectivamente. Em todo o País foram 154 toneladas.

As polícias Civil e Militar paranaenses tiraram de circulação 15,2 toneladas de maconha em janeiro, 19,2 toneladas em fevereiro e 17 toneladas em março. Com a inclusão dos dados preliminares de abril, ainda sendo abastecidos pelos estados, esse número salta para 90 toneladas de maconha apreendidas no Paraná desde o início do ano.

“Formamos policiais para atuarem com ampla análise de informações, investigações mais completas, patrulhamentos ostensivos e forte combate ao tráfico. Tudo isso, aliado ao trabalho de inteligência, fez com que o Paraná se tornasse o Estado com o maior número de apreensão de maconha no primeiro trimestre deste ano, uma marca bastante simbólica”, afirmou o secretário da Segurança Pública do Paraná, Hudson Leôncio Teixeira.

O Oeste é a região onde as forças de segurança mais apreenderam maconha. Duas das Áreas Integrada de Segurança Pública que mais retiraram maconha de circulação se encontram nesta região: a 13ª de Toledo, com 9,7 toneladas no trimestre, e a de Cascavel com 6,9 toneladas. 

O município onde mais foram registradas apreensões é Cascavel, com 6,1 toneladas no período. Guaíra é o segundo município com mais apreensões no Paraná: 5,9 toneladas.

AJUDA DA POPULAÇÃO

A população pode ajudar a polícia nessa cruzada contra o tráfico passando informações ao Centro Integrado de Denúncias por meio do telefone 181 ou do site www.denuncia181.pr.gov.br. Neste caso, basta o cidadão acessar o ícone “Denunciar”, depois selecionar o tipo de crime e detalhar o que está ocorrendo. Tudo é feito no anonimato. 

Compartilhe

Posts Relacionados