Quem é o melhor jogador brasileiro pós-Pelé?

Listamos também outros nove nomes

Revista Placar polemizou ao classificar o camisa 10 do PSG como o maior depois que o Rei saiu de cena. Listamos também outros nove nomes e queremos que o amigo internauta dê a sua opinião.

On 14 de fev de 2019

Ronaldo 1.9 K Votos

O Fenômeno brilhou por Cruzeiro, PSV, Barcelona, Inter de Milão, Real Madrid, Milan e Corinthians. É bicampeão mundial, na reserva em 1994 e artilheiro no penta de 2002 - ainda foi vice em 1998. É o segundo maior artilheiro das Copas e foi eleito pela Fifa o melhor jogador em 1996, 1997 e 2002. Crédito da foto:  Brian Bahr/Getty Images

O Fenômeno brilhou por Cruzeiro, PSV, Barcelona, Inter de Milão, Real Madrid, Milan e Corinthians. É bicampeão mundial, na reserva em 1994 e artilheiro no penta de 2002 – ainda foi vice em 1998. É o segundo maior artilheiro das Copas e foi eleito pela Fifa o melhor jogador em 1996, 1997 e 2002.

Crédito da foto: Brian Bahr/Getty Images

Ronaldinho Gaúcho

1.2K Votos

O Bruxo foi um dos grandes nomes do futebol no início do século. Eleito melhor do mundo em 2004 e 2005 por brilhar com a camisa do Barcelona, foi campeão mundial com o Brasil em 2002 e venceu a Champions em 2006. Crédito da foto:  Ben Radford/Getty Images

O Bruxo foi um dos grandes nomes do futebol no início do século. Eleito melhor do mundo em 2004 e 2005 por brilhar com a camisa do Barcelona, foi campeão mundial com o Brasil em 2002 e venceu a Champions em 2006.

Crédito da foto: Ben Radford/Getty Images

Zico 991 Votos

Grande ídolo da torcida do Flamengo e maior artilheiro da história do Maracanã, Zico ainda defendeu a seleção brasileira nas Copas de 1978, 1982 e 1986. É o terceiro que mais fez gols pela amarelinha, com 66, de acordo com lista da CBF que leva em conta amistosos. Crédito da foto:  Getty Images

Grande ídolo da torcida do Flamengo e maior artilheiro da história do Maracanã, Zico ainda defendeu a seleção brasileira nas Copas de 1978, 1982 e 1986. É o terceiro que mais fez gols pela amarelinha, com 66, de acordo com lista da CBF que leva em conta amistosos.

Crédito da foto: Getty Images

Romário 870 Votos

Marcou época com as camisas, sobretudo, de Vasco, PSV, Barcelona, Flamengo e Fluminense e ainda conduziu o Brasil ao tetracampeonato mundial nos EUA. Por conta da conquista, foi eleito o melhor do mundo em 1994. Crédito da foto:  Mike Powell/ALLSPORT

Marcou época com as camisas, sobretudo, de Vasco, PSV, Barcelona, Flamengo e Fluminense e ainda conduziu o Brasil ao tetracampeonato mundial nos EUA. Por conta da conquista, foi eleito o melhor do mundo em 1994.

Crédito da foto: Mike Powell/ALLSPORT

Rivaldo 465 Votos

Grande nome da conquista do penta em 2002 ao lado de Ronaldo. Ainda foi eleito melhor do mundo em 1999, ano em que se destacou com a camisa do Barcelona. Também foi vice com a Seleção na França em 1998. Crédito da foto:  Gary M. Prior/Getty Images

Grande nome da conquista do penta em 2002 ao lado de Ronaldo. Ainda foi eleito melhor do mundo em 1999, ano em que se destacou com a camisa do Barcelona. Também foi vice com a Seleção na França em 1998.

Crédito da foto: Gary M. Prior/Getty Images

Kaká 309 Votos

Reserva na campanha do penta em 2002, Kaká viveu seu auge no Milan ao conduzir o clube à conquista da Liga dos Campeões em 2007. Nesse mesmo ano ainda foi eleito o melhor do mundo - sendo o último brasileiro a conquistar tal honraria.  Crédito da foto:  Alex Livesey/Getty Images

Reserva na campanha do penta em 2002, Kaká viveu seu auge no Milan ao conduzir o clube à conquista da Liga dos Campeões em 2007. Nesse mesmo ano ainda foi eleito o melhor do mundo – sendo o último brasileiro a conquistar tal honraria.

Crédito da foto: Alex Livesey/Getty Images

Sócrates 308 Votos

Ídolo do Corinthians, o Doutor disputou as Copas da Espanha, em 1982, e do México, em 1986. Em 2015, entrou numa lista do jornal inglês The Guardian que elegeu os seis esportistas mais inteligentes da história. Crédito da foto:  Peter Robinson/EMPICS via Getty Images

Ídolo do Corinthians, o Doutor disputou as Copas da Espanha, em 1982, e do México, em 1986. Em 2015, entrou numa lista do jornal inglês The Guardian que elegeu os seis esportistas mais inteligentes da história.

Crédito da foto: Peter Robinson/EMPICS via Getty Images

Falcão 291 Votos

Grande ídolo da torcida do Internacional, também brilhou nos anos 80 com a camisa da Roma na Itália. Pela Seleção, era um dos protagonistas da grande geração que disputou a Copa de 1982, no México. Crédito da foto:  Peter Robinson/EMPICS via Getty Images

Grande ídolo da torcida do Internacional, também brilhou nos anos 80 com a camisa da Roma na Itália. Pela Seleção, era um dos protagonistas da grande geração que disputou a Copa de 1982, no México.

Crédito da foto: Peter Robinson/EMPICS via Getty Images

Bebeto 281 Votos

Brilhou com as camisas de Vitória, Flamengo, Vasco, La Coruña, Botafogo e, em especial, da seleção brasileira. Foi titular nas Copas de 1994 e 1998. Na primeira, levou o título e, na segunda, amargou o vice. Crédito da foto:  Allsport UK /AllsportBrilhou com as camisas de Vitória, Flamengo, Vasco, La Coruña, Botafogo e, em especial, da seleção brasileira. Foi titular nas Copas de 1994 e 1998. Na primeira, levou o título e, na segunda, amargou o vice.

Crédito da foto: Allsport UK /Allsport

Neymar 254 Votos

Alvo da  polêmica da Placar , conquistou a Liga dos Campeões e o Mundial de Clubes com o Barcelona, em 2015, e a Taça Libertadores com o Santos, em 2011. Disputou as Copas de 2014 e 2018, mas seu auge com a Seleção foram nos títulos da Copa das Confederações, em 2013, e o ouro olímpico, nos Jogos do Rio, em 2016. Aos 27 anos, é o quarto artilheiro da história da Seleção, com 60 gols, atrás de Pelé (95), Ronaldo (67) e Zico (66), segundo as contas da CBF, incluindo amistosos. Crédito da foto:  Buda Mendes/Getty Images

Alvo da polêmica da Placar, conquistou a Liga dos Campeões e o Mundial de Clubes com o Barcelona, em 2015, e a Taça Libertadores com o Santos, em 2011. Disputou as Copas de 2014 e 2018, mas seu auge com a Seleção foram nos títulos da Copa das Confederações, em 2013, e o ouro olímpico, nos Jogos do Rio, em 2016. Aos 27 anos, é o quarto artilheiro da história da Seleção, com 60 gols, atrás de Pelé (95), Ronaldo (67) e Zico (66), segundo as contas da CBF, incluindo amistosos.

Crédito da foto: Buda Mendes/Getty Images

Compartilhe

Posts Relacionados